Este site utiliza cookies. Ao utilizar este site está a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo
voltar

Mensagem da Direção

“Futuro” foi a palavra que escolhi quando inesperadamente me pediram, em direto num programa de televisão, uma palavra que representasse a mudança de ano. Embora tenha sido uma resposta totalmente espontânea, existia uma razão por detrás dessa escolha. O programa foi totalmente dedicado a analisar o ano de 2018, e num determinado ponto acabei a pensar na quantidade de tempo que passamos a falar sobre assuntos, que obviamente têm uma certa importância, num tempo e espaço específico, mas são apenas, como costumamos dizer, “a espuma dos dias” (adaptado de um romance francês “L’Écume des jours”/”Froth on the daydream”).

Nos últimos 4 anos, reestruturámos o iMM com base no conceito de que nossa missão é a promoção da excelência científica, alavancada por recursos humanos de alta qualidade apoiados por infraestruturas de última geração. Temos a forte convicção de que estamos a caminhar para um ambiente sólido e ao mesmo tempo genuíno, e empolgados com o mundo que temos por descobrir. No entanto, 2018 foi o ano em que nós - Bruno Silva-Santos e eu – sentimos a necessidade de definir uma estratégia mais ambiciosa para os próximos anos.

Devemos promover descobertas novas e disruptivas, baseadas na AMBIÇÃO, como sendo um dos principais valores do iMM. A LIBERDADE continuará a ser outro desses valores, sendo que devemos criar espaço para iniciativas ousadas, baseadas em interações interdisciplinares.

Além disso, para atrair e manter um corpo docente vibrante, precisamos investir na internacionalização e reforçar o recrutamento, avaliação e promoção baseado exclusivamente na excelência profissional.

O sucesso deste tipo de estrutura também exige que nós, enquanto comunidade, sejamos totalmente comprometidos a treinar e a educar os investigadores mais promissores, para alcançarmos o sucesso em ambientes internacionalmente competitivos na academia, na indústria e na medicina clínica. Devemos estimular os futuros líderes. Os nossos programas de mestrado, doutoramento e pós-doutoramento devem explorar, a todos os níveis, os fundamentos dos sistemas vivos, proporcionando um período intenso e exigente de desenvolvimento de habilidades. Estar neste campus e pertencer ao Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), que inclui a maior escola de medicina (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa - FMUL) e o maior hospital universitário (Hospital Santa Maria - HSM) do país, faz com tenhamos o dever de desempenhar um papel único na formação científica dos médicos estagiários, garantindo que a nova geração de clínicos-cientistas seja capaz de fazer a ligação entre as pesquisas básicas e clínicas.

Não temos dúvidas de que a ciência de excelência é o motor para aplicações inovadoras com impacto na sociedade. A esse nível, 2018 foi um ano muito especial. Após 5 anos de pesquisas e desenvolvimentos pioneiros, em junho de 2018 uma das start-up do iMM – a Lymphact – foi adquirida pela Gamma-Delta Therapeutics, uma empresa sediada no Reino Unido. A Lymphact, que começou com uma descoberta de um aluno de doutoramento do iMM, Daniel Correia, na equipa liderada por Bruno Silva-Santos, criou uma nova tecnologia para gerar terapêuticas imunológicas celulares autólogas e heterólogas, com o objetivo de atingir células cancerígenas resistentes à quimioterapia que possam causar a recorrência da doença. A equipa do iMM continuará a trabalhar com a equipa do Reino Unido no desenvolvimento da sua invenção para a aplicação clínica - DOT-Cells®.

Com este processo, verificou-se a necessidade de implantar procedimentos aprimorados e simplificados para a criação de um ambiente favorável que promova a inovação e acelere o desenvolvimento de ideias promissoras, com o objetivo de melhorar a vida humana. Esse ambiente, irá garantir uma maior interação entre os nossos cientistas e os principais grupos de interesse da indústria, da academia e do sistema de saúde em direção à transladação e comercialização clínicas, mas preservando sempre o interesse público. Com isso em mente, criámos um novo Gabinete de Transferência e Tecnologia (Tech Transfer Office - TTO) totalmente dedicado à valorização da investigação do iMM, incluindo a proteção de propriedade intelectual, a parceria com a indústria, a promoção do empreendedorismo e a criação de novos empreendimentos, enquanto estratégia-chave para direcionar a inovação do iMM para o mercado. Ao levar a inovação do iMM para a aplicação clínica, irá haver um grande benefício com a ligação próxima com o nosso fundador HSM, o que deve reforçar a nossa capacidade para promover ensaios clínicos iniciados por investigadores no nosso campus de investigação médica.

Por último, mas não menos importante, embora queiramos continuar a partilhar as nossas descobertas e entusiasmo em diversos eventos e atividades públicas, ambicionamos também envolver toda a sociedade, contribuindo construtivamente para um debate público sobre a direção, o objetivo e as implicações da investigação em biomedicina. Reforçamos a vocação do iMM para o serviço da sociedade e a busca pela disseminação do conhecimento, nas suas duas versões distintas, porém complementares: a mais visível, que cativa pelos resultados alcançados, pela descoberta; com a versão que a antecede, o primeiro encontro com a pergunta e com a curiosidade que se procura. Nesse contexto, 2018 também foi muito rico.

Primeiro, criámos o Conselho Societal Consultivo (Societal Advisory Board - SoAB), composto por membros ilustres da nossa sociedade, que providenciarão conselhos sobre políticas públicas que promovam adequadamente os valores do iMM para a sociedade. Segundo, lançámos a primeira campanha para apresentar o iMM ao cidadão não-científico. Sob o lema “Antes de uma grande resposta, há sempre uma grande pergunta”, lançámos uma série de cartazes na área de Lisboa (com foco especial nos arredores do campus universitário) com perguntas que achámos que poderiam ser colocadas pelos cientistas e pelos não-cientistas. Através de um QR Code em cada cartaz, as pessoas mais curiosas podiam aceder a um pequeno vídeo onde o cientista do iMM disponibilizava uma resposta simples, mas rigorosa, e fácil de entender. Acreditamos firmemente que foi apenas um começo, e que os vários contatos e perguntas recebidas do exterior certamente nos levarão a novas aventuras.

Na mudança do milénio, Melinda e Bill Gates decidiram que iriam ajudar na erradicação da malária, antes de morrerem. Quase vinte anos depois, e apenas recentemente, outro casal filantrópico e mais jovem decidiu deixar uma marca ainda mais forte. Priscilla Chan e Mark Zuckerberg disponibilizaram 3 biliões de dólares para os próximos 10 anos, com o objetivo ambicioso de "curar, prevenir e gerir" todas as doenças. Embora esse valor seja incrivelmente impressionante, não é uma enorme quantia para um objetivo tão ambicioso. Notavelmente, Chan e Zuckerberg sabem que só querem ser a centelha que desencadeia um processo - para criar um movimento global a longo prazo que financie a ciência com o apoio de cidadãos de todo o mundo - que lhes permita alcançar seu objetivo. O iMM quer fazer parte desse movimento e contribuir significativamente para melhorar a saúde humana. Para esse fim, em 2018 lançámos o Fundo João Lobo Antunes, onde esperamos envolver a sociedade portuguesa no apoio aos cientistas do iMM para resolver as questões mais difíceis, as perguntas que ninguém ainda fez ou que ainda não foram respondidas. Mais importante, as perguntas com potencial para produzir as respostas mais relevantes.

Maria M. Mota (Diretora Executiva)

Ambiente Científico Vibrante

O iMM - Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes é considerado um dos principais institutos de investigação científica em Portugal. Privado e sem fins lucrativos, oferece um ambiente científico dinâmico e vibrante, onde o objectivo é promover a investigação biomédica básica, clínica, e de translação.

Fundado em 2002, o iMM estabeleceu-se como um instituto de investigação biomédica competitivo em termos nacionais e internacionais. A estratégia tem sido definida por um aumento constante centrado na excelência, e na investigação de alto impacto, apoiada sempre por recursos humanos de alta qualidade, queremos uma atmosfera onde todos - investigador, pessoal técnico e administrativo - sintam que contribuem para o sucesso da instituição, e que essa instituição tem o objetivo comum de criar novos conhecimentos que terão impacto na saúde humana.

Projetos cofinanciados pelo FEDER através POR Lisboa 2020 - Programa Operacional Regional de Lisboa, do PORTUGAL 2020 e pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Projetos | Concurso 02/SAICT/2017

Projetos | Concurso 03/SAICT/2015

Projetos | Concurso ICDT2014

Visão, Missão e Valores

O nosso objetivo:

Abrir caminho para uma maior inovação na ciência.


A nossa visão:

Melhorar a vida humana através de investigação biomédica de excelência.


A nossa missão:

  • Promover a investigação biomédica básica, clínica, de translação e a inovação nestas áreas, com o objetivo de contribuir para um melhor conhecimento dos mecanismos das doenças, para o desenvolvimento de novos testes de diagnóstico ou de previsão, e para novas terapêuticas.
  • Apoiar a formação científica pós-graduada de jovens licenciados, médicos e outros profissionais da Saúde.
  • Apoiar a divulgação científica e a prestação de serviços ao exterior nas áreas do diagnóstico especializado, controlo de qualidade e colaboração em Comissões Nacionais e Internacionais relacionadas com a Saúde.

Os nossos valores:

Geração de conhecimento, excelência, liberdade individual e ambição.

Organização e Estrutura

Membros Associados ao iMM

Universidade de Lisboa
Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
Hospital Santa Maria
Associação para a Investigação e o Desenvolvimento da Faculdade de Medicina
Fundação Oriente


Assembleia Geral

A Assembleia Geral é composto por representantes dos Membros Associados e reúnem, pelo menos uma vez por ano, para analizar o relatório científico e financeiro e para aprovar o plano de atividades e orçamento do ano seguinte.


Direção

A Direção é responsável pela gestão do Instituto, de acordo com o plano aprovado e definido em Assembleia Geral.

M. Carmo-Fonseca
MD, PhD - President

Maria M. Mota
PhD - Executive Director

Bruno Silva-Santos
PhD - Vice-President


Diretor Financeiro e de Operações

Fausto Lopo de Carvalho


Conselho Científico Consultivo

Realiza avaliações periódicas a programas específicos de investigação no iMM, e é composta por peritos internacionais das áreas científicas.

Carlos Caldas
MD, PhD, Chairman
Cancer Research UK Cambridge Institute
Cambridge Cancer Center, UK

Philippe Sansonetti
MD, PhD - Pasteur Institute, France

Elaine Mardis
PhD - Institute for Genomic Medicine at NationWide Children's Hospital

Caetano Reis e Sousa
PhD - Francis Crick Institute
London, UK

Paul Peter Tak
MD, PhD - University of Amesterdam
Netherlands


Conselho Societal Consultivo

António Barreto
Chairman

Graça Franco

Paula Martinho da Silva

Diogo Lucena

João Filipe Queiro

Henrique Leitão

Pedro Norton

Domítilia dos Santos

Política de Qualidade

  • Apoiar os Investigadores do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM) a prosseguir com sucesso sua Missão.
  • Identificar as necessidades de melhoria nas áreas técnica, logística e administrativa de modo a satisfazer as necessidades/expectativas dos Clientes e promover as medidas necessárias para a resolução das dificuldades surgidas no decurso da sua atividade.
  • Promover a interação entre a comunidade científica do iMM e os vários parceiros sociais, entre as quais instituições académicas e de saúde e industria, para fomentar o desenvolvimento da Ciência.
  • Cumprir com requisitos e melhorar a eficácia do Sistema de Gestão da Qualidade.