procuramos
perguntas:

pt en
Menu

Conselho Europeu de Investigação distingue investigador do iMM

Setembro 3, 2019

1,4 milhões de euros para criar e ler o “código de barras” de um tumor

João Conde, investigador do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM), é o único investigador em Portugal na área das ciências da vida a ganhar este ano o financiamento Starting grant do Conselho Europeu de Investigação (European Research Council, ERC). No valor de 1,4 milhões de euros, o projeto tem como objetivo desenvolver (bio)nanomaterais para o diagnóstico e terapia do cancro da mama.

Os progressos científicos e tecnológicos dos últimos anos têm permitido aumentar as possibilidades de tratamentos em diferentes tipos de cancro. No entanto, a falta de sistemas muito eficientes na administração dirigida de fármacos e o próprio microambiente tumoral requerem abordagens mais transversais. “A nanotecnologia tem vindo a ter um papel crescente no desenvolvimento de (bio) nanomateriais para diagnóstico e terapia. Neste projeto pretendemos desenvolver nano-hidrogéis que têm a capacidade de administrar moléculas diretamente no tumor. Esta estratégia irá permitir, por um lado, mapear os diferentes tipos de células existentes e por outro avaliar a sua resposta à terapia. No fundo, pretendemos criar uma plataforma que permite criar e ler um “código de barras” de cada tumor e neste projeto, vamos aplicar esta ideia ao cancro da mama”, explica João Conde.

O investigador refere que: “Este financiamento do ERC confirma a importância de compreender como as diferentes células do microambiente tumoral respondem à terapia permitindo traçar o perfil de heterogeneidade do tumor em diferentes tipos de cancro da mama. E isso pode ajudar-nos a melhorar a maneira como vemos e tratamos o cancro”, acrescentando que “receber esta ERC Starting Grant irá permitir o impulso da minha investigação em nanomedicina do cancro, desenvolvendo novas ideias e materiais o que dificilmente seria possível sem este nível de financiamento, constituindo assim um passo importante na minha carreira de investigador”.

São já 12 os investigadores do iMM cujos projetos foram financiados pelo ERC, nomeadamente com 5 Starting grants, 5 Consolidator grants, 5 ERC Proof of Concept (quadro de financiamento aberto apenas aos beneficiários de projetos ERC e que visam apoiar o potencial comercial dos resultados de investigação) e ainda 1 ERC Synergy grant (novo quadro de financiamento em consórcio de 3 laboratórios europeus).

“Este ano foram destacados 408 investigadores em início de carreira na ronda de financiamento Starting Grant, em todas as áreas de conhecimento. O orçamento deste concurso, no valor total de 603 milhões de euros, integra o programa de investigação e inovação da UE, o Horizonte 2020”, como se lê no comunicado do ERC. Ainda em Portugal, a investigadora Joana Gonçalves-Sá, da NOVA School of Business & Economics foi também distinguida com uma Starting grant na área das ciências sociais.

João Conde doutorou-se em Biologia, com especialidade em NanoBiotecnologia pela Universidade Nova de Lisboa e Universidad de Zaragoza em 2014, integrado no Consórcio Europeu NanoScieE + - NANOTRUCK para o desenvolvimento de nanopartículas de ouro multifuncionais para o silenciamento de genes. Depois de terminar o doutoramento, João Conde, obteve uma bolsa Marie Skłodowska-Curie para continuar os seus estudos no Massachusetts Institute of Technology (MIT), Harvard-MIT Division for Health Sciences and Technology e na School of Engineering and Materials Science, Queen Mary University of London. Entrou no iMM em 2017 como Investigador Júnior da FCT. Os interesses científicos focam-se na aplicação de nanomateriais multifuncionais na terapia do cancro.

Este site usa cookies. Algumas cookies são essenciais para a correcta operação do mesmo e já foram configuradas.
Pode bloquear e apagar as cookies deste site, mas algumas partes poderão não funcionar correctamente.